28 de abril, greve geral

thumb

É Hora de construir a Greve Geral

É hora de construir a Greve Geral! Se o trabalhador não lutar, a aposentadoria vai acabar! Trabalhar até morrer, tô fora!

Em 15 e31 de março últimos, os trabalhadores demonstraram que não estão dispostos a aceitar as Reformas e ataques do Governo. Mostraram que estão com vontade de lutar. Nesses dias unificados de lutas por todo o Brasil, aconteceram manifestações, atos, paralizações e greves contra Temer e os patrões. A luta está ganhando força, estamos organizando uma grande e forte GREVE GERAL para o próximo 28 de abril, que ponha fim a esse governo e seus planos de miséria e fome para a classe trabalhadora. Nós não aceitaremos calados. Vamos lutar, vamos brigar pela manutenção dos nossos direitos contra esses ataques.

Vamos preparar a Greve Geral para dar uma resposta da Classe Trabalhadora aos patrões e a seu Governo!
Não às Reformas Trabalhista e da Previdência! Fora Temer!

Acesse aqui o Boletim específico do Sindicato dos Vidreiros convocando a GREVE GERAL


Leia abaixo a carta de convocatória da Greve Geral feita unitariamente por todas as Centrais Sindicais:

As centrais sindicais conclamam seus sindicatos filiados para, no dia 28, convocar os trabalhadores a paralisarem suas atividades, como alerta ao governo de que a sociedade e a classe trabalhadora não aceitarão as propostas de reformas da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização aprovado pela Câmara, que o governo Temer quer impor ao País.

Em nossa opinião, trata-se do desmonte da Previdência Pública e da retirada dos direitos trabalhistas garantidos pela CLT.

Por isso, conclamamos todos, neste dia, a demonstrarem o seu descontentamento, ajudando a paralisar o Brasil.

São Paulo, 27 de março de 2017.

Adilson Araújo
Presidente da CTB

Antônio Neto
Presidente da CSB

Edson Carneiro (Índio)
Secretário Geral Intersindical

José Calixto Ramos
Presidente da Nova Central

Luiz Carlos Prates (Mancha)
Secretaria Executiva da CSP-Conlutas

Paulo Pereira da Silva (Paulinho)
Presidente da Força Sindical

Ricardo Patah
Presidente da UGT

Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira)
Presidente da CGTB

Vagner Freitas
Presidente da CUT