Jornada Nacional pela DEMOCRACIA

A Frente Brasil Popular e a Frente Povo Sem Medo realizam manifestações unitárias em diversas cidades do Brasil e do mundo, nesta quinta-feira (31).

Na pauta dos protesto estão: em defesa da democracia – golpe nunca mais; contra o ajuste fiscal – por outra política econômica; e em defesa dos direitos trabalhistas – contra a reforma da Previdência. (Acompanhe a jornada minuto a minuto neste link).
“Não permitiremos que o processo democrático do nosso país seja interrompido. Não aceitaremos nenhum direito a menos. Vamos tomar às ruas e o nosso grito ecoará nos quatro cantos do país: não vai ter golpe!”, defendem os movimentos populares, sindicatos, organizações políticas e militantes sociais que fazem parte das frentes.

SÃO PAULO - PRAÇA DA SÉ

Em São Paulo, as atividades iniciam às 16h na Praça da Sé, compondo a Jornada de Lutas em Defesa da Democracia e contra o Golpe. Diretores do Sindicato dos Vidreiros também participarão da manifestação.
A manifestação será política e festiva, com música e apresentações culturais. A cartunista Laerte e os grupos Mistura Popular e Trio Alvorada são presenças confirmadas.

GOLPE NUNCA MAIS

O presidente da CUT São Paulo e coordenador da Frente Brasil em São Paulo, Douglas Izzo, lembrou que desde a reeleição da presidenta Dilma, os setores conservadores que perderam nas urnas colocaram em questionamento o processo eleitoral e tem causado um ambiente de crise política e econômica no país, que está sendo destrutivo para o conjunto dos trabalhadores, o que representa um golpe para a classe.
O dirigente da CUT São Paulo avalia que um eventual governo do PMDB/PSDB/DEM não será legítimo. “Não reconheceremos um governo que não teve voto para se constituir”.
“As pessoas têm dito que o impeachment não é golpe, que isso está na Constituição. É fato que está na Constituição. Agora, tem os parâmetros legais para esse processo, e isso é exatamente o que não está sendo respeitado, pois para pedir impeachment é preciso ter um crime de responsabilidade fiscal [da presidenta]. Se não tem isso, é golpe”.

MAPA DA DEMOCRACIA

 

O Mapa da Democracia, espaço virtual para que a sociedade pressione os deputados federais a votarem contra o processo de impeachment de Dilma Rousseff, também foi citado como instrumento de luta das entidades. Ele já contabiliza 2 milhões de e-mails contra golpe. De forma simples, o internauta pode encaminhar uma mensagem aos parlamentares indecisos sobre a importância de não apoiarem o golpe e os riscos que isso trará à recente democracia brasileira. (com informações da CUT)